Uma Passagem para a Nova Zelândia

Jul 04

Uma Passagem para a Nova Zelândia

Mudança de planos, não vai dar pra eu ficar nos Estados Unidos durante o verão! E meu visto religioso parecia que não ía sair e depois de duas semanas de provações de todo tipo, todas de uma vez, eu me encontrei tendo que crer na providência divina para conseguir uma passagem para ir para a Nova Zelândia. Não me entenda mal, todo o resto era muito mais difícil de crer do que a tal passagem, mas por alguma razão ela tinha um significado especial pra mim, seria a estrela no topo da árvore de natal, o diploma para um novo nível de fé na minha vida.

Ouvi e li que Deus é meu provedor, que tudo que eu preciso está nEle, que Ele é o meu pastor e nada me faltará. Eu também experimentei isso na minha própria vida em todos os empregos que consegui quando eu não tinha a menor chance de ser contratada diante da forte concorrência, gente muito melhor que eu; também na administração milagrosa de recursos escassos, e em eventos completamente inesperados ocorridos em momentos de grande necessidade. Eu tinha visto O Senhor prover através do trabalho de minhas mãos que, sem Ele, eu jamais teria conseguido. Eu tinha experimentado a provisão de Deus através da generosidade de amigos e parentes que sabiam o que eu precisava e quando eu precisava. Eu já vi dinheiro vir em situações loucas, mas que poderiam ser explicadas por pessoas que não crêem no que creio (eles chama isso de coicidência, mesmo quando acontece em circunstâncias inusitadas, repetidas vezes…). De maneira que eu já tinha visto o suficiente para saber que Deus vem quando chamamos por Ele, e quando se está indo na direção certa. A questão é… Qual a direção cert? E se eu não estiver no centro da vontade dEle? O Senhor certamente não irá me ajudar a tomar uma decisão ruim e me dar uma carona ao lugar errado! Mas como ter certeza? Bem… Isso também requer fé.

Eu sabia que eu tinha sido chamada para missões. Eu sabia que era pra eu estar na Universidade das Nações. A porta tinha sido aberta para eu servir como professora. Eu sabia que precisava de um visto religioso para cumprir com o meu acordo com a escola, tudo isso fazia sentido. E eu confiei que tinha documentos mais que suficientes para apresentar ao governo americano para conseguir o visto. Por alguns meses, Nova Zelândia começou a aparecer no meu radar. Eu achei que poderia ser algo para daqui dois anos ou pelo menos daqui um ano. Daí o processo do meu visto come;cou a ficar com cara de que não ía dar certo. Eu tinha confiado nos meus documentos, mais do que nO Senhor. Eu tinha planejado coisas usando a minha mente, minha lógica e fazia sentido e parecia bom e sábio. Entretanto, eu estava ouvindo algo mais, algo diferente do que o que eu tinha planejado, não tãããooo diferente, mas que não fazia sentido, então eu deixei pra lá. Acabou que, na tentativa de enviar mais documentos para o governo americano nós percebemos que as chances de eles serem aceitos não eram muito otimistas. Eu poderia ter tentato. Eu poderia ter mandado algo mais. Nós pensamos nisso, mas eu sabia que O Senhor estava fechando uma porta, então isto significava que Ele estava abrindo uma outra noutro lugar.

Pra encurtar a história, meu e-mail perguntando sobre vagas para staff na Nova Zelândia chegaram jusnto tom o e-mail de uma professora que tinha se comprometido a dar aula no trimestre seguinte dizendo que não poderia mais ir. Tanto mais aconteceu por aqueles dias… Perdi todo o meu suporte financeiro, depois consegui ele de volta. Um parente quanse morreu. Mas não morreu. Eu fiquei doente tantas vezes que até perdi a conta! Ataques de todos os lados, pessoas dizendo coisas pra me desencorajar. Medo batendo na minha porta toda noite e pela manhã também. Como eu poderia ter certeza de que tinha ouvido O Senhor e que não era eu juntando uma coisa com a outra na minha cabeça e achando que era pra eu ir pra Nova Zelândia? Como eu poderia ter certeza de que as imagens que vi não eram fruto da minha imaginação? Eu queria mais confirmações, mas cada sinal que recebi poderia ser interpretado de outras maneiras. E como eu poderia colocar a minha fé na provisão de Deus para aquela viagem se eu nem tinha certeza de que deveria ir? Eu senti que devia ir, estava com cara de que era pra eu ir, mas eu não tinha certeza… Foi então que eu li um artigo de uma moça dizendo que ela tinha parado de orar pedindo clareza e tinha começado a confiar em Deus. Eu também li algo semelhando sobre Madre Tereza, então decidi crer que Deus não iria me deixar cair, que Ele não me conduziria a um caminho errado ou deixaria algo me confundir enquanto em meu coração eu estava verdadeiramente buscando a vontade dEle e não a minha (tenha sempre isso em mente, é crucial!).

Eu pedi oração para algumas pessoas de minha confiança. E conforme os dias foram se passando eu comecei a me sentir mais confiante (por nenhum motivo em especial) de que a Nova Zelândia era o meu próximo destino. Naquele ponto eu tinha tudo menos a passagem de avião e eu não tinha nenhuma forma de consegui-la a tempo a não ser que Deus movesse o coração de pessoas para me dar dinheiro ou algo tão miraculoso quanto isso.  Pouco a pouco o dinheiro começou a vir. Eu nem sei direito quem foram algumas das pessoas que fizeram depósitos na minha conta bancária. Eu tinha planejado fazer um video para mandar com notícias e acrescentar um pedido de oração pela minha viagem e pedindo que quem sentisse no coração O Senhor os quiando a me apoiar que entrasse em contato. Na noite anterior ao dia em que eu coloquei o video na internet e enviei o link para meus contatos, O Senhor falou comigo no Salmo 20:7, então eu entendi que não deveria confiar no meu video mas nO Senhor somente. A questão era que, SE o dinheiro para a passagem viesse, SE eu de fato fosse para a Nova Zelândia…ISSO significaria que eu estava ouvindo O Senhor mais do que eu pensava que estava. E isso significaria que várias das coisas que eu havia escutado sobre levantar recursos financeiros para missões não estava correto e que confiar nO Senhor é na verdade muuuuiiito mais louco e exige muito mais ousadia do que as pessoas tem coragem de arriscar. Isso siginificava que consultar O Senhor a respeito de cada pequeno passo era a coisa certa a fazer TODA VEZ e que obediência radical na verdade envolve abrir mão do controle em níveis que eu vi muito pouca gente fazer. Isso também significava confiar confiar que O Senhor falaria comigo de maneiras que eu seja capaz de ouvir e crer que eu escutei a voz dEle. Em outras palavras… Confiar no meu relacionamento com o Espírito Santo, e consequentemente, confiar um pouco em mim mesma também. Eu poderia confiar em Deus! Mas confiar em mim mesma? Será que eu iria acerditar que eu tinha ouvido a voz dEle? E teria eu coragem de fazer disso um estilo de vida?

Num dado momento eu descobri que eu TINHA QUE abrir mão da lógica para ouvir Deus de maneira mais clara. E conforme eu fui refletindo a respeito disso por alguns dias, começou a fazer sentido. Porque se a habilidade das pessoas de discernir e planejar e decidir o que é melhor e como fazer as coisas acontecerem do jeito que elas querem que aconteça, de modo a conseguirem o que querem, então a humanidade não estaria do jeito que está; o mundo seria um lugar melhor e todo mundo teria seus finais felizes, certo? Logo… O que a sociedade chama de correto, o que as pessoas pensam que é o caminho certo, o que a maioria chama de lógico, pode estar completamente de cabeça para baixo! E eu não estou usando fé pra chegar a esta conclusão, como 1+1=2. A verdade é que as pessoas vivem fazendo as coisas do mesmo jeito esperando resultados diferentes. Elas não chegaram onde queriam mas continuam fazendo o que pessoas que também não obtiveram sucesso fizeram. E mais! Elas veem os caras doidos que estão de fato chegando a algum lugar de forams que elas jamais teriam coragem de tentar e elas ainda não se tocam de que precisam abandonar a forma “tradicional” de se fazer as coisas! É burrice! Porém, confiar em Deus é tão antigo quanto a raça humana e nós ainda relutamos em fazê-lo… Nós conhecemos tantas histórias, na Bíblia e fora dela, sobre pessoas que se jogaram nos braços do Pai, em fé, confiando que Ele não as deixaria na mão, e nós ouvimos como Ele foi fiel TODAS AS VEZES! Eu não estou falando de gente que NÃO recebeu uma palavra do Senhor sobre ir pra algum lugar e simplesmente acharam que deveriam fazer o que um amigo fez, vendei a casa, cruzou os braços e esperou “alguma coisa” acontecer. Você deve estar pensando: “E qual é a diferença?”. Bem… A diferença é que Deus te guia por todo o caminho. Eu comecei a ouvir sobre a Nova Zelândia cinco meses antes de eu tomar a decisão de ir. Eu pedi conselhos de pessoas mais experientes que eu. Gastei tempo em oração e me certifiquei de que não estava tomando uma decisão baseada em algo que parecia fácil ou confortável ou agradável. Eu abri mão da minha vontade para abraçar a vontade de Deus. Eu cheguei ao ponto em que eu estava ok com qualquer coisa que Ele me dissesse. Eu também abri mão do meu jeito de fazer as coisas para abraçar o jeito dEle de fazer as coisas e esperei por instruções que vieram, uma a uma (e eu só recebia a próxima depois que eu tivesse cuidado da anterior). ISSO é confiar em Deus. Eu não tinha certeza se que poderia confiar no que eu tinha ouvido. Mas eu DECIDI confiar. Não por causa da minha sensibilidade para com o Espírito Santo, mas por causa de 1 Coríntios 11:8 que dize que Deus não vai me deixar cair. Esse versículo estava muito claro pra mim e não havia possibilidade de que ter entendido errado. Deus estava dizendo em sua palabra que não Ele não me deixaria cair. E eu SEI que o que Ele diz é verdade!  Nessa palavra eu poderia confiar! E se eu tiesse ouvido errado e se eu tivesse imaginad coisas, então Ele me ensinaria como fazê-lo da maneira correta, inclusive usando essa situação para me fazer crescer. O que eu não podia mais era viver com dúvida e medo… Eu PRECISAVA saber a verdade a respeito de confiar em Deus ara me guiar e mandar recursos. Além do mais, Eu sou professora e sei que um bom professor jamais daria uma prova para seus alunos sobre um assunto que não tivesse ensinado. E seu eu sabia disso, claro que Deus sabia ainda mais do que eu jamais poderia compreender. Ele jamais me colocaria à prova em algo que eu não estivesse preparada para vencer. Entao eu decidi confiar nEle e também cri que era Ele quem estava falando comigo e que Ele proveria a passagem para ir onde eu entendia que Ele estava me chamando pra ir.

Alguns segundos depois que eu enviei o veido para os meus contatos, eu consegui mais que um terço do valor que eu precisava para a passagem (ninguém tinha visto o e-mail ainda, acredite…). Eu já tinha algum dinheiro na minha conta e mesmo sabendo que eu ainda precisava de um pouco mais, comprei a passagem! (Com cartão de crédito.) E dancei! E cantei! E me alegrei! E louvei ao Senhor!! “Vou pra Nova Zelândia! Lálálálálá…! Mas a questão que é… Quem se importa pra onde estou indo??! Eu estava feliz porque eu tinha passado no teste! Conseguir aquela passagem significava que eu tinha naverdade ouvido O Senhor, ERA ELE o tempo inteiro! SIM! Eu tomei a decis!ao certs! E certamente não foi meu dom pra me comunicar com as pessoas que me fez conseguir a passagem! Foi O Senhor! Foi confiar nEle que fez as coisas acontecerem! E muuuuiiiito antes do que eu esperava! Eu estava orando para que eu conseguisse o dinheiro pelo menos uma ou duas semanas antes do dia que eu precisaria partir, mas acabou que eu consegui um dia depois de ter feito essa oração…Ahahahahah… Deus é bom ou o quê??? Ahahahaaha… Sim… Abra mão da sua vontade. Abra mão do seu jeito de fazer as coisas. Confie nEle feito doido. Abandone a lógica. Faça oq ue Ele diz. E se parecer que Ele não está dizendo nada, faça o que parecer correto, talvez Ele não esteja dizendo nada porque você já sabe o que deve fazer… Aquela passagem pra Nova Zelândia foi na verdade uma passagem para um novo nível de fé, confiança, e intimidade com Deus e eu estava com um sorriso de orelha a orelha antes mesmo de entrar no avião…

2 comments

  1. cleusa aparecida faria escoura /

    Mirinha, como dis sua amada mãe.A sua mãe nasceu para ser serva do Semnhor,mas aqui no Brasil, com as crianças, então Deus a mandou , como mandou para longe Paulo, e Ele te sustentara,NÃO PERC SUA ALEGRIA DE SERVIR,e guarde todos seus depoimentos de sua trajetória que ainda vai dar livro de testemunho,menina guerreira e determinada.Isaías 52.12

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>