Ninguém Orou Por Mim

Ago 09

Ninguém Orou Por Mim

Acho que todo mundo já deve ter passado por isso. Você foi à igreja com expectativas de receber uma palavra especial, uma oração poderosa, ou uma palavra de encorajamento e, ao invés disso, o contrário aconteceu. A pregação foi meio “xoxa”, o profeta entregou palavras pra todo mundo menos pra você e quando você foi à frente receber oração, o dirigente do culto encerrou antes que alguém viesse orar por você (ou então aquela pessoa menos “fervorosa” foi a que veio orar por você e foi menos impactante do que oração de agradecimento pela refeição). Você voltou pra casa. Meio vazio. Lamentando sua dor e a solidão de ter que lidar com ela sem a ajuda de ninguém. Às vezes a gente até ouve histórias de gente que nem foi à igreja e alguém bateu na porta da casa dele e veio trazer uma palavra de Deus. Sem falar naqueles abençoados que tiveram sonhos e visitações de anjos e visões espirituais. Sem comentários… Enfim, acho que você já sabe do que eu estou falando.

 

Durante muito tempo, a maior parte da minha vida na verdade, fui aquela pessoa que não recebia profecia nenhuma de ninguém. Lembro de uma ocasião em que eu tocava numa banda e todos na banda receberam palavras proféticas sobre gravar cds, ter grandes ministérios e coisas do gênero e eu…nada! Na maior parte das vezes eu era a garota do teclado, fazendo um fundinho pra inspirar a galera a orar e tal. E quem é que ora pela garota do teclado, não é? Ela desaparece atrás da musica (a não ser que a música seja muito ruim… Ahahahahahah).

 

Se você acha que agora é a parte em que eu vou dizer “mas Deus está te vendo e Ele se importa com você”, desculpe. Não vou não. Não que isso não seja verdade, mas é que você já sabe disso (ou já deveria saber) e, sinceramente, não estou interessada em ser mais uma pessoa a escrever e dizer as mesmas coisas que todo mundo já disse mas que ninguém aprende. Sei que “não há nada de novo debaixo do sol”, mas tem umas coisas quem não só não são novas, mas que não faz mais muita diferença se alguém disser de novo. Estou mais interessada nas coisas que vão nos fazer lembrar daquelas que, apesar de não serem novas, foram esquecidas. E dizer de um jeito que talvez faça a gente pensar e mudar nosso jeito de agir e começar a ir mais longe. Então, se você começou a ler esse texto na esperança de suprir aquele desejo de atenção que o pregador de fora não te deu, que o profeta da igreja não te deu e que os ministros da igreja não te deram… Texto errado. Mas se o que você está procurando é descobrir como receber o que você precisa mesmo quando ninguém vem te dar na sua mão, então talvez eu tenha descoberto algo que pode te ajudar. E não se sinta especial por eu ter escrito isso pra você porque eu talvez nem te conheça e certamente não faço a menor ideia do que você esta passando (e agora sim eu posso dizer: “mas Deus sabe”). Então vamos ao que interessa!

 

A resposta está na mulher do fluxo de sangue. Oi? Quem??? A mulher do fluxo de sangue! Aquela da história da Bíblia da mulher que tinha uma doença que eles chamavam de fluxo de sangue (uma espécie de sangramento constante) e que por 12 anos gastou sua fortuna em médicos mas sem resultado e que ouviu falar de Jesus e de seus milagres e foi ao encontro dele, lembra? Não? Bom, foi isso o que aconteceu. E ela que não podia sair de casa por ser considerada impura, se enfiou no meio da multidão e tocou nas vestes de Jesus e foi curada. Se não conhece a história aproveita que você já está na internet mesmo, entra no Google e procura “história da mulher do fluxo de sangue” ou abra a Bíblia, o que seria ainda melhor! (está no final do capítulo 8 do evangelho de Lucas), depois volte e termine de ler este texto.

 

Ela não podia ir à igreja. Ela não podia sair de casa. Ela tinha dinheiro. Ela pagou pra receber ajuda e não recebeu. Pior até do que a gente ir à igreja e não receber nada do que esperávamos. Imagina você pagar (caro) pra alguém vir à sua casa e ainda assim não virar nada?! O caso dela era pior. Nenhuma profecia. Ninguém orou por ela. Veja bem, na grande maioria das outras histórias de milagres de Jesus e dos apóstolos as pessoas receberam o que pediram e algumas receberam sem nem pedir, Jesus estava passando e “bum!”, olha o milagre! Até Zaqueu, o cobrador de impostos safado e ladrão se deu bem. Jesus SE CONVIDOU pra ir à casa dele! E aquela mulher que passava com a procissão carregando o caixão com o filho morto pra enterrar e Jesus pára tudo e ressuscita o rapaz? Ela não pediu, nem sabia que Jesus estava por ali ou quem ele era, imagino eu. A mulher do fluxo de sangue tentou de tudo, diz a Bíblia. Passividade zero. Ela foi atrás do que ela precisava! Ela investiu! Por aaaaanoooos!  Vou inventar um outro fim pra história dela agora, ok? Depois explico o porquê.

 

(Sempre me diverti pensando em finais alternativos pra seriados, filmes e livros! Agora é a minha chance! Mas não é por isso não… A diversão é só um bônus!).

 

Um dia ela ouviu falar de Jesus e dos milagres que ele andava fazendo. Daí ela sentou na cama e teve dó de si mesma. Pensou: “puxa, Deus mandou o filho dEle à terra! E ele está andando por aí curando um monte de gente e nem passou aqui em casa! Ok então… Vou à igreja onde ele está pregando e vou esperar ele me notar e apontar o dedo pra mim e dizer: “Eis que te digo, estás curada, mulher!”. Pronto! É isso que vou fazer!”. E foi o que ela fez. Foi à igreja mais próxima da casa dela e ficou esperando Jesus ter uma revelação, atravessar o templo e dizer o numero do RG dela, impor-lhe as mãos e “bum”! curada na hora! E foi isso o que aconteceu! No momento em que ela entrou no templo (atrasada! que era pra ter certeza de que Jesus iria vê-la entrando no meio da pregação, e com um vestido vermelho que era pra já dar a dica do fluxo de sangue que precisava ser curado), Jesus apontou pra ela e disse: “Hoje serás curada do teu fluxo de sangue! E, a propósito,  o seu RG é 345 984 399 7! Crê somente!”. E veio a renca toda! Jesus, os discípulos, os curiosos, os Roberts e mais uns aproveitando pra tirar uma “selfie” com Jesus curando a tia de vermelho no fundo da foto. Todo mundo ao redor dela! Seus cinco minutos de fama finalmente chegaram e o fim da agonia da doença também, com promessas de felicidade e fama eternas. Daí ela voltou pra casa e postou tudo no Facebook e passou os próximos meses pregando nas igrejas sobre o milagre da cura da sua doença. Ficou popular, ganhou um monte de seguidores no Twitter e no Facebook, fez reflexo no cabelo, (porque quanto mais loira melhor!) e nunca mais tirou uma foto sem fazer biquinho!

 

Não! Espera… Esse final não está muito realista… Deixe eu tentar de novo! (Desculpa esfarrapada pra mudar o final novamente…? Nah… Ahhahahaah…)

 

Um dia ela ouviu falar de Jesus e dos milagres que ele andava fazendo. Daí ela sentou na cama e teve dó de si mesma. Pensou: “puxa, Deus mandou o filho dEle à terra! E ele está andando por aí curando um monte de gente e nem passou aqui em casa! Ok então… Vou à igreja onde ele está pregando e vou esperar ele me notar e apontar o dedo pra mim e dizer: “Eis que te digo, estás curada, mulher!”. Pronto! É isso que vou fazer!”. E foi o que ela fez. Foi à igreja mais próxima da casa dela e ficou esperando Jesus ter uma revelação, atravessar o templo e dizer o numero do RG dela, impor-lhe as mãos e “bum”! curada na hora! E foi isso o que ela fez! No momento em que ela entrou no templo (atrasada! que era pra ter certeza de que Jesus iria vê-la entrando no meio da pregação, e com um vestido vermelho que era pra já dar a dica do fluxo de sangue que precisava ser curado), Jesus apontou pra empregada da vizinha dela que geralmente ía numa congregaçãozinha num bairro afastado, mas que naquela noite resolveu ir lá ver Jesus pregar (e sentou bem no fundo porque era tímida). “Filha amada!” – disse Jesus. E lá vieram um monte de palavras e revelações sobre como Deus, o Pai, a conhecia e como ela vinha sendo fiel e que muitos seriam abençoados através dela como missionária pelo mundo! Ali mesmo a congregação a rodeou, orou por ela, levantaram uma oferta pra mandar ela pra ministrar em Miami e de lá pro resto do mundo! O culto acabou. A mulher do fluxo de sangue voltou pra casa. Trocou de roupa antes que mais sangue corresse e sujasse seus sapatos. Foi à cozinha fazer um lanche porque os empregados já estavam todos dormindo. E comeu sozinha. Precisava repor a energia que lhe era pouca devido ao problema de saúde e do desgaste de ter saído de casa. Pensou: “Deus… O Senhor não se importa? O Senhor não me vê?? Eu sei que O Senhor me vê! Por que não faz nada?? Eu estava lá! Na frente do seu filho! Ele poderia ter me curado! Ele poderia ter falado comigo! UMA PALAVRA DELE e tudo teria sido diferente…”

 

Ai… Vou parar por aqui. Já deu, né? Triste demais… A questão é… Essa é você? Se lamentando porque ninguém te viu, porque ninguém orou por você, porque Deus não mandou nenhum profeta falar mundos e fundos sobre a sua vida? Não vou te dar um sermão. Você não precisa de uma bronca. Você precisa de uma resposta. Uma boa e prática resposta para as suas perguntas e eu creio que ela está na história da mulher do fluxo de sangue. Na VERDADEIRA história da mulher do fluxo de sangue. Não nas minhas versões malucas. Então aqui vai o que de fato aconteceu…

 

Jesus estava a caminho da casa de uma outra pessoa pra curar a filha de um sujeito importante que estava à beira da morte. Ele estava de saída indo dar atenção a alguém proeminente e no caminho estava ocupado dando atenção a outros que o procuravam também. A mulher tinha ouvido falar de Jesus e se enfiou no meio da multidão, correndo o risco de ser descoberta e punida por não ter se isolado em casa devido a ser considerada impura. Tudo o que ela fez foi tocar a roupa de Jesus. Ela não falou com ele. Não teve a atenção dele logo de cara. Ele nem tinha a visto. Atenção zero. E a Bíblia fala que ela tocou a “orla” das vestes de Jesus, o que dá a entender que foi algo do tipo a barra da calça. E muita gente ainda comenta que pra isso ela deve ter rastejado ou caído e esticado o braço pra poder alcançar. (Como se uma celebridade estivesse passando na rua cercada de seguranças e fãs empurrando e se apertando e alguém conseguisse se enfiar ali no meio.) Daí Jesus repara. Porque o gesto dela liberou da parte de Deus poder de cura através dele. Jesus não lhe impôs as mãos, não liberou uma palavra nem nada do gênero. FOI ELA quem “arrancou” dele o milagre. Não que ele não quisesse lhe dar a cura. É só que ele era ali um ser humano andando no meio de um monte de gente tentando conseguir alguma coisa dele. Não muito diferente daquele pregador de fora, sujeito cheio do Espirito de Deus e tal, que veio à igreja pra conferência missionária-apostólica-profética e que todo mundo quer que ele e SOMENTE ele lhe imponha as mãos ou então não serve, sabe? (Por falar nisso… Recomendo que você não force a barra com o pregador de fora! Na maioria das vezes pega mal pra caramba… Sem vexame, por favor!).

 

Vou encerrar contando um testemunho curtíssimo de uma vez em que eu finalmente recebi uma palavra profética. Você talvez vá rir do que me falaram… Foi num evento pra mulheres. Fui, como sempre, ajudar com o louvor, tocando o teclado. Naquela altura da minha vida eu já tinha me acostumado a nunca receber profecia e só fazer o fundinho musical mesmo e estava feliz com isso. Ficava satisfeita em poder ajudar e fazer parte do que Deus tinha para as pessoas e ver como O Senhor revelava coisas secretas através de palavras proféticas e tal. Eu anotava algumas coisas que me chamavam a atenção nas pregações (não tudo, só coisas que me marcavam mesmo), era muito abençoada ali no meu silencio, sentadinha perto do teclado esperando o momento em que o(a) pregador(a) me fizesse um sinal pra começar a tocar de novo. Era bom. Era o meu lugar e o meu papel naquela fase e eu gostava. Em segredo eu recebia tudo o que eu podia e conversava com Deus em casa sobre o que tinha ouvido. Eu e Deus, Deus e eu. Mas naquele chá de mulheres (Ah….os chás de mulheres… Boa comida, boa palavra! Sempre gostei!) a pregadora, depois de entregar algumas palavras proféticas pra algumas pessoas e orar por elas, virou e disse que tinha uma palavra pra mim. Que surpresa! Ok…? O que poderia ser…? Trocando em miúdos, ela disse: “Você não precisa que lhe imponham as mãos. Você não precisa que profetizem sobre você. A unção que esta disponível você pega no ar, sem que te ministrem diretamente, você pega e bebe! Você pensa grande! Deus vai fazer grandes coisas através de você porque você sonha grande e crê.”. Ela não orou por mim. Ela não me impôs as mãos. De fato, ninguém orou por mim. Não precisou. E eu entendi naquele momento que Jesus bate à porta, que Ele está disponível, e que no meio da multidão tentando chamar a atenção dele e os milagres acontecendo e as revelações e tudo mais, EU POSSO me enfiar no meio daquilo tudo e tocar nele e receber o que preciso (e no final das contas ele sabe sim quando alguém o toca).

 

Nunca mais senti que precisava de algum homem ou mulher de Deus me notar pra que algo acontecesse na minha vida. Muito tempo depois, houveram momentos em que eu recebi tantas palavras proféticas que tive que começar a anotar num caderninho. Também houveram tempos em que nenhuma palavra especial veio. Com esse entendimento eu comecei a ser a pessoa que ia orar pelos outros. Comecei a ter compaixão pelos invisíveis na última fileira do templo, e a pensar naqueles que já nem vinham mais à igreja e que ninguém tinha notado a falta deles. Comecei a orar por mais pessoas. Na maioria das vezes não tive revelação sobrenatural nenhuma, mas tinha o amor de Deus e a fé de que a Palavra dele é a verdade e que pode muito em seus efeitos. Comecei a encorajar pessoas e a compartilhar o que eu aprendia nas pregações que ouvia aqui e ali. Até que me tornei uma missionária em tempo integral e isso me trouxe a alegria de poder estar disponível quase que o tempo todo para gastar tempo com pessoas que precisam de coragem pra seguir em frente.

 

Volta e meia alguém tem um sonho profético a meu respeito, uma visão, uma palavra. Mas na maioria das vezes Deus fala comigo diretamente mesmo. Porque eu comecei a parar pra ouvi-lo ao invés de esperar ele mandar recado por outras pessoas. Acho lindo quando Ele manda mensageiros (e isso acontece por motivos diversos). É como quando alguém me manda um cartão (coisa rara hoje em dia…mas muito gostosa! rs). E é reconfortante quando alguém ora por mim, porque geralmente sou eu quem ora por “todo mundo”. É importante que todos nós, como corpo de Cristo, oremos uns pelos outros e compartilhemos os dons que recebemos para abençoar as pessoas à nossa volta. Mas a minha questão neste texto é ressaltar que, o fato de ninguém ter orado por mim num dado momento da minha vida não significou de modo algum, que eu não tinha como receber o que eu precisava, ou que Deus tinha esquecido de mim. A minha benção esteve sempre ali, ao alcance da mão, ou melhor, ao alcance da minha fé. E tudo o que Deus disse em sua Palavra é verdade e vale pra mim e pra você. Um sujeito disse a Jesus “SE QUISERES, podes me curar” e Jesus respondeu “QUERO!”. Eu peguei esse “QUERO” pra mim. Ele é meu! Jesus QUER que eu seja curada, que eu receba o que vim buscar. Jesus perguntou a outro “Que queres que eu te faça?”. Eu peguei essa pra mim também. Eu sei que Jesus também me pergunta o que eu quero que me Ele faça e eu não fico mais choramingando no canto do meu quarto o que Ele ainda não fez como se Ele nunca me tivesse perguntado. Já perguntou! Então eu parto pra próxima parte e respondo com o que eu quero e preciso. E eu sei o que vem depois. Ele faz. E por aí vai. (Vai ter quem queira debater situações em que Deus não faz e tal, mas isso é outro texto e sinceramente, neste contexto, é coisa do maligno pra te impedir de ser ousado, então não vou nem entrar no mérito da questão).

 

A verdade é que Deus já mandou Jesus e está tudo pago. Jesus veio lá do céu até aqui na terra e fez tudo o que fez. Ele já veio até você pessoalmente e a Palavra de Deus diz que Ele está à porta e bate. É besteira ficar choramingando a atenção que as pessoas não te dão. Ninguém orou por você? Bom… Jesus abriu mão da sua glória e veio à terra em forma de homem e morreu morte de cruz, pagando por todo o pecado do mundo e abrindo um acesso direto aO Pai. Serve…? Ou você ainda precisa que alguém venha orar por você…?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>