Insônia

Nov 07

Insônia

Daqui a pouco começa a amanhecer e eu ainda não dormi. Meus fantasmas me assombrarm, meus medos me tirararm o sono. Decidi escrever.

Medo de quê, afinal? De que meus sonhos se realizem? Claro que não. Medo de mais uma vez acreditar que eles vão se realizar e descobrir que me enganei novamente. Medo se sofrer.

É que eu não sei direito o que está acontecendo. Fico imaginando, tentando interpretar o cenário, as coisas à minha volta e dentro de mim. Me esforço tanto pra entender, pra saber a verdade… E o que é a verdade? Quero dizer, a verdade sobre tudo isso? E o que é isto que sinto e o que é que de fato está havendo? Como discernir as coisas? Muitas pessoas me ofereceram fórmulas mágicas, mas na realidade não é tão simples assim. Para poder saber a verdade é preciso vencer à si mesmo primeiro, e depois seus medos, pra daí sim conseguir ouvir a voz da verdade. É um caminho longo e difícil este de lutar contra si mesmo. Não é fácil.

E sabe o que mais? Depois de descobrir o caminho certo, ainda haverão os percalços dele. E que tamanho terão? E quão árduos serão? Medo. De novo.

Preciso dormir. Pra onde foi meu sono? Se eu ao menos estivesse exausta do trabalho… Mas nem isso. Não hoje.

Uma parte de mim parece estar feliz, apesar de um pouco insegura. A outra corre de um lado para o outro desesperada, me mantendo acordada. Não quero sonhar. Se eu dormir vou sonhar. E depois vou acordar. E vai ser tão triste…

Os ônibus já começaram a passar. Eu nem sabia que tinha gente a essa hora no ponto… Onde sera que trabalham? Que horas foram dormir? É cedo… Muito cedo. Cedo pra um monte de coisas. Cedo pra estar no ponto de ônibus. Cedo inclusive para estar de pé. Cedo pra tomar café e comer pão. Cedo pra tomar as decisões que ainda esta semana sinto que precisarei tomar. Não me sinto pronta… É cedo… É muito cedo!

Preciso dormir… Mais um pedaço de pão. Café, nem pensar! Ainda bem que o cachorro não trabalha e vai poder dormir durante o dia. Ele fica acordado quando eu ando de um lado pro outro. Ele me acompanha. Pobrezinho…

Este cheiro me lembra de tudo que eu preciso avaliar antes de escolher um rumo a seguir. O cheiro do creme nas minhas mãos… Por que será? Acho que levo muito as mãos à boca enquanto penso… Daí o cheiro me lembra meus pensamentos… Que engraçado isso… Era só o que me faltava! Meu creme de mão ter cheiro de problema…!

Buzinas. Quanto barulho na rua! Ainda está escuro. Como podem buzinar??? Como se o trânsito estivesse denso a esta hora… Quem tem que buzinar sou eu! Pra toda essa confusão sair da minha cabeça e eu conseguir dormir!!! Sai da frente, preocupação!!!

Ok… Mais um pedaço de pão. Com manteiga. E volto pra cama.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>