FRITANDO CEBOLA

Set 14

FRITANDO CEBOLA

Corte a cebola em pequenos cubos. A melhor forma de cortar, na minha opinião, é cortando primeiro ao meio, da ponta onde tem uns “cabelinhos” até a outra. Vire as metades para baixo na tabua ou no prato onde estiver cortando. Depois corte em fatias. Tanto faz a direção do corte das fatias (eu gosto de cortar na mesma direção que cortei inicialmente as metades, coisa minha…rs). Por último, corte as fatias em pequenos pedaços. Se você fizer isso tudo com as metades viradas para baixo, vai espirrar menos e vai evitar aquela desagradável queimação nos olhos. Mas tudo depende da cebola. Alguns tipos de cebolas ardem mais que outras. Se o que você tiver em mãos for aquelas mais ardidas, cortando virado pra baixo vai demorar mais pra começar a arder seus olhos. Se for das menos ardidas, não vai arder nada.

 Somos como cebolas. O que está dentro “espirra” quando somos “partidos”. Dependendo do tipo de cebola que somos, quando partidos, ferimos os que estão perto de nós. Tem gente que “espirra” mais, outros menos, outros nada. Acredito que tem a ver com maturidade.

Coloque a cebola na panela e acrescente óleo. Óleo suficiente pra fritar toda a cebola. Não muito, pra comida não ficar oleosa demais. Não pouco, pra que a cebola não queime, mas frite. A diferença entre fritar e queimar é o sabor no final. Claro que se você deixar a cebola tempo demais no óleo quente, vai queimar também. A questão é que, em óleo, ela demora mais a queimar e o processo de fritura em óleo faz com que ela libere o melhor do seu sabor, um sabor diferente do que ela tem quando crua. Sem o óleo ela queima, tosta seca, não libera o sabor nem o aroma gostoso. Como saber a quantidade certa do óleo? Experimentando, testando. A cebola tem uma propriedade interessante, ela absorve óleo. Ela absorve óleo pra caramba! Como uma esponja. Mas tem limite. Com o tempo você vai percebendo o quanto cada quantidade de cebola é capaz de absorver.

Foi fritando cebolas que percebi, que assim como nelas existe um aroma, um sabor, algo que faz toda a diferença na comida, em nós também temos algo que, sob altas temperaturas libera o que temos de melhor dentro de nós. Algo que sem o óleo quente, cru, arde os olhos dos outros e fere. O óleo na Bíblia simboliza unção, o Espirito Santo.

Algo foi colocado dentro de cada um de nós. Algo que com o Espirito Santo, com a unção, e sob altas temperaturas (provações), traz a tona um aroma agradável, um tempero maravilhoso. Aroma agradável na Bíblia simboliza adoração que Deus gosta e recebe, tempero na Bíblia (sal) simboliza a diferença que devemos fazer no mundo, boa influencia. Alta temperatura sem óleo (provações sem o Espirito Santo, sem unção) nos queima e não traz a tona o que há de bom em nós, pelo contrario, nos estraga. “Sem mim nada podeis fazer.” (João 15:5) “Mas o Ajudador, o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas” (João 14:26). Cebola em óleo frio não absorve o óleo direito, é só cebola melada, não exala aroma e não melhora o sabor. Se for pouco óleo da pra usar na salada. E só. Deixo com você a interpretação desta ultima parte.

ALHO

Alho tem um aroma e um sabor mais forte. Mas queima mais rápido. Dá pra usar cru, mas eu diria que tem que ser batido ou bem triturado pra ficar bom, pra misturar bem na comida, e pra usar ele cru o ideal é usar bem pouco. Fica muito bom em maionese, patês, humus. Já ele frito fica bom em quase qualquer prato salgado. Ele cortado em pedaços grandes, libera menos sabor (minha opinião). Quanto menor, mais sabor. Mas batido ao ponto de virar um creme eu já acho que não da muito certo pra fritar. Então eu diria que o ideal é mesmo esmagar e picar bem pequeno ou usar um ralador daqueles bem pequenininhos e ralar no mais fino.

CEBOLA OU ALHO?

Nem todo mundo aguenta ficar debaixo de pressão durante muito tempo. Cada um de nós tem maior resistência em algumas áreas e menor noutras. Todo mundo passa por “momentos cebola” e todo mundo passa por “momentos alho”. Momento alho é quando a gente é super espremido e picado e logo em seguida fritado em óleo quente.  É intenso, difícil, mas é rápido. Em poucos dias a coisa acontece, sabe? Como quando surge um problema muito “punk” que te coloca de joelhos na presença de Deus. Daí você sua sangue, chora, se arrepende, se entrega, Deus responde, você cresce, aprende algo novo e tudo isso em poucos dias.

Momentos cebola são diferentes… É um processo lento… Pode até começar com você sendo partido em pedaços grandes, mas você vai ficar por mais tempo no óleo quente… Até amolecer e murchar, até absorver bastante óleo, exalar aroma e mudar de cor. São áreas da vida em que a gente não chega no ponto certo assim tão rápido. São coisas que a gente espirra quando está cru e arde os olhos dos outros. São tesouros que estão escondidos atrás de coisas que a gente protege a todo custo porque tem medo. Coisas que estão debaixo de varias camadas que precisam ser partidas uma a uma. Camadas de mentiras que a gente acreditou e que atrapalham a nossa vida sem a gente nem saber.

Acho besteira ficar se comparando com quem está num momento alho quando estamos num momento cebola. Porque todo mundo passa por ambos. E talvez o maior erro que se possa cometer é justamente achar que somos os únicos que passam por momentos cebola ou que Deus ama mais o fulano que esta num momento alho e coisas assim. Então não perca seu tempo com esse tipo de pensamento porque vai fazer você se queimar ao invés de produzir o aroma e sabor que este processo pode te levar a produzir.

OLEO TEMPERADO

Quando me perguntam o segredo do meu tempero ou o segredo da culinária (caseira) brasileira eu falo: “Não tem segredo! Cebola e alho. E sal, claro! Rs”. Incrível as coisas que aprendo sobre a vida cozinhando!

Hoje enquanto fritava cebolas e observava elas chegarem no ponto certo, isso tudo passou pela minha cabeça. Observei as cebolas murchando no óleo quente… Pensei em mim, diminuindo enquanto Cristo cresce em mim ao passar por tribulações e a presença do Espirito Santo forte comigo na cozinha enquanto eu cantava e cozinhava. Pensei na cebola absorvendo o óleo e o quanto ela consegue absorver e o quanto que “absorvo” de Deus quanto as temperaturas da minha vida sobem. E lembrei que Deus é um excelente cozinheiro, e que Ele não deixa nem cebola nem alho queimar. Ele vai desligar o fogo quando tudo estiver bem douradinho! “E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar” (Coríntios 10:13). Acho que estou num “momento cebola” da minha vida, temperatura elevada por um período um pouco mais longo. Na verdade me parece uma sequencia de “momentos cebola” nos últimos anos. Mas ainda que eu esteja errada e seja um “momento alho”, Ele não vai me deixar queimar. Ele não vai me deixar passar do ponto. Nada será perdido. Ele vai trazer a tona o meu melhor aroma e o meu melhor sabor e no final eu ainda vou ficar com todo o óleo que tiver absorvido no processo. E se você quiser um pouco do meu óleo , basta vir feito papel toalha e ficar pertinho de mim! Porque o óleo que pingar já vem temperado!

One comment

  1. Thiago Ribeiro /

    Amei. ;)

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>