AMOR INCONDICIONAL

Fev 11

AMOR INCONDICIONAL

A gente vê escrito em camisetas. Aparece em letras de músicas e em historias. Não era a primeira vez que eu via estas duas palavras uma do lado da outra. Mas ainda assim elas me pegaram de surpresa. Nem sei direito onde foi que vi… Ou ouvi… Não lembro… Mas lembro do impacto com que elas bateram no meu peito, como um avião que faz um pouso forçado.

 

Acho que tudo aconteceu porque eu vinha refletindo com dificuldade a respeito de perdoar pessoas que no passado me fizeram mal. Em especial aqueles de quem eu esperava um mínimo de maturidade, respeito ou mesmo alguma decência e que, ao invés disso, agiram da maneira mais reprovável possível. Mas eu queria perdoar. Acima de tudo, eu queria esquecer e seguir em frente, ter paz.

 

Meu esposo e eu escolhemos andar em amor e fazer do amor nosso estilo de vida, e amor anda lado a lado com o perdão, com a graça. Sim, graça. Aquele favor  não merecido, lembra? NÃO MERECIDO. Eu quero falar um pouco sobre essa coisa de “não merecer”…

 

Veja bem, graça tem mais a ver com a pessoa que dá do que com a pessoa que recebe. E isso acontece por causa da decisão de usar de bondade. O mesmo pode ser aplicado ao amor incondicional. Como o nome já diz, não existem condições, não tem nada disso de ficar com o rabo preso ou em divida. Você ama. (“ponto final”) Eu acredito que o que a maioria de nos vivencia é amor CONDICIONAL. Nós amamos SE a pessoa nos amar também. Nós amamos SE o contexto estiver do nosso agrado.

 

Conversando com alguém outro dia sobre divórcio (que, dentre outros tantos, é um tópico sobre o qual ainda preciso escrever um dia…), discutimos sobre o problema da dureza do coração – razão pela qual o divórcio acabou sendo permitido, como Jesus mesmo explicou. No meu entender, isso significa que, se nos amássemos o suficiente, não haveriam divórcios. Repare que Jesus não disse que as pessoas não cometeriam erros; o tema ali não era santidade, era amor. A Bíblia também diz que o amor cobre uma multidão de pecados (1 Pedro 4:8) Em outras palavras, pessoas cometendo erros (pecados) não é desculpa para não amar. Amor incondicional é exatamente isso, não importa o que aconteça, não importa o que as pessoas façam, nós as amamos. Mas antes que este texto vire um texto sobre divórcio, e antes que alguém use o que estou escrevendo pra justificar abuso, deixe eu apenas dizer que, na minha experiência, as pessoas que mais citam 1 Pedro 4:8 são as que menos amam. Os que se relacionam de maneira abusiva usam essa referencia bíblica pra justificar seu comportamento e manter seu domínio sobre as pessoas. Então vou terminar este parágrafo com outro versículo bíblico pra refutar essa ideia doentia. “Foi para a liberdade Cristo nos libertou. Permaneçam firmes e não se deixem submeter novamente a um jugo de escravidão.” (Gálatas 5:1) Sei que vai ter gente egoísta usando esse último versículo da mesma forma pra justificar sua falta de amor e acho que este é exatamente o problema do qual Jesus estava falando. Como eu disse, não é minha intenção aqui ir mais fundo na questão do divórcio, porque amor vai muito mais além disso.

 

Acho que a melhor imagem que eu poderia usar pra ilustrar amor incondicional, algo com o qual estamos mais familiarizados, é o amor de uma mãe por seu filho viciado em drogas, criminoso e completamente perdido na vida. Como ela vai sempre olhar pra ele e ver o bebê que ela carregou nos braços. Não importa o quão degenerado ele se tornar, ela vai sempre pensar nele como sendo seu amado garotinho e vai sempre acreditar e ter esperança de que as coisas vão mudar. Ela não vai comprar drogas pra ele. Não. Ela não vai encorajar nele as coisas que o destroem. Mas ela vai visitar ele na cadeia. Ela vai orar por ele todo dia e toda noite. ISSO é amor incondicional.

 

Tenho certeza de que você entende. Sei que você provavelmente já viu ou ouvir falar disso. O problema é viver isso. E como não é minha intenção escrever sobre amor incondicional pra trazer culpa ou peso pra ninguém, aqui vai a saída. “Nós amamos porque Ele (Deus) nos amou primeiro.” (1 Joao 4:19) Só é possível amar porque Deus começou este processo em nossas vidas nos amando primeiro. E em Romanos 5:8 está escrito “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.” ISSO é amor incondicional. Ele nos amou antes que nós o amássemos, antes de termos nos tornado pessoas que alguém quisesse amar, quando não merecíamos, quando ainda estávamos escolhendo o pecado ao invés dEle, quando ainda feríamos o coração dEle. Porque Ele, que é perfeito, nos amou, por causa do contraste gigantesco entre quem somos e quem Ele é, podemos amar uns aos outros (o contraste é bem menor nesse segundo contexto, não acha?).

 

Mas isso tudo ainda soa muito religioso e impossível de alcançar na pratica, né? Creio que nosso maior problema não é crer nisso tudo que eu falei sobre amor, mas sim colocar em prática. Bom… Deixe eu te contar o que eu tenho feito. Eu tenho constantemente repetido pra mim mesma que Cristo morreu por aquelas pessoas que eu tenho achado difícil amar. Só o fato de pensar nisso já tira o chão de debaixo dos meus pés e faz com que eu me dê conta de que não somos assim tão diferentes. A partir daí eu vou pra oração de Jesus e me lembro que vou ser perdoada conforme eu perdoar. Porque se DEUS pode ME perdoar, então eu tenho que fazer nada menos que tudo o que eu puder pra perdoar quem me fere. Se eu não puder fazer isso, então é melhor eu abraçar meu lixo, esperar o inferno me engolir e, enquanto eu espero a chama eterna, mudar meu nome pra “Hipócrita Massuia Weinfurter”. Não sei você, mas eu não tenho intenção nenhuma de passar a eternidade no inferno e eu prefiro muito mais “Miriam” do que “Hipócrita”. E te digo outra coisa, quanto mais eu largo mão da minha dor e dos meus medos, quanto mais eu escolho amar, mais livre e mais feliz eu me torno. Amor incondicional é simples, mas o caminho pra chegar lá é meio longo por causa do nosso egoísmo. Então… O quanto antes começarmos a caminhar nessa direção, mais rápido chegaremos ao nosso destino. Tenho certeza de que o que você deseja pra sua vida não inclui ficar preso(a), com raiva, sozinho(a), perturbado(a) por memorias de coisas ruins do que pessoas te fizeram, tô errada? Então… Eu diria… Bora começar a andar?

2 comments

  1. Eliana /

    Lindo texto! Difícil desfazer de algumas bagagens do passado que nos pesa as costas, mas é necessário. A vida sem ela é mais leve e feliz.
    Gratidão!

  2. Erica Massuia /

    Bora começar a andar filha

Responder a Erica Massuia Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>